Os múltiplos talentos que você possui, mas não sabe!

Eu estava ministrando um curso cujos participantes eram executivos de duas empresas para as quais prestava consultoria. O tema do curso era “Sprint Time”, cuja base trata da Reengenharia de Tempo. Com o Sprint Time descobrimos quantas informações podem caber em apenas alguns segundos, quantas coisas podemos realizar num determinado espaço de tempo e, por outro lado, como nos tornamos especialistas em tergiversar, procrastinar, enrolar, empurrar com a barriga e toda uma gama de artifícios que criamos, e que acabam preenchendo de inutilidades os dias de nossas vidas.

Como executivos que eram, havia uma certa reputação a ser preservada, de modo que, até criarmos um ambiente favorável a um diálogo franco, muitos obstáculos tiveram de ser superados.

Então, algo revelador aconteceu.

Muitos daqueles eminentes profissionais haviam chegado até aquele ponto de suas vidas profissionais sem maiores empolgações. É verdade que haviam se dedicado muito. Desempenhavam suas funções com amor, mas não faziam aquilo por amor. Ou seja, eles desempenhavam suas funções de maneira primorosa, mas não eram apaixonados por suas profissões! Consequentemente, isso lhes rendia um maior índice de estresse, terminavam o dia bastante cansados e, em vários momentos de suas vidas profissionais, pensaram seriamente em desistir, não o fazendo apenas por questões financeiras!

Tal como aqueles profissionais, muitos por aí desempenham funções que não gostam, embora sejam bem remunerados por isto. Estes profissionais até chegam a pensar em fazer algo diferente em suas profissões, porém logo desistem. Nestes casos, a necessidade ou desejo de ganhar mais dinheiro, faz com que renunciem ao sonho de trabalhar numa área que lhes traria mais prazer e, portanto, maior qualidade de vida. Também são incapazes de enxergar que, uma boa parte destes profissionais que trabalham insatisfeitos, tendem a buscar tratamentos psiquiátricos ou psicológicos, ou canalizam suas frustrações em hábitos viciosos tais como tabagismo ou alcoolismo tornando-se cardíacos, hipertensos, ansiosos e assim por diante.

Durante o curso, em meio a uma das palestras, evoquei a seguinte pergunta:

— Além daquilo que exercem na profissão, qual outra coisa vocês sabem fazer melhor do que nenhuma outra pessoa da família ou amigos?

As respostas foram absolutamente surpreendentes!

Num clima de alto astral e risos, muitos risos, todos nós presentes havíamos descoberto um amplo nicho industrial e comercial! Havia padeiros, chefs, músicos, jardineiros, pintores, artesãos, carpinteiros, mecânicos de motos e automóveis, agricultores, floristas, e até mesmo modelistas e costureiros! Todos eles tinham por hobby pessoal exercer aquelas funções. Contudo, sentiam-se incapazes de enxergar aquilo como algo que lhes trouxesse algum rendimento.

É preciso considerar que apenas um número estrito de pessoas, consegue, logo nas primeiras tentativas, encontrar sua Missão de Vida. A maioria absoluta, tateia durante anos até consiga encontrar um caminho que lhes leve à realização.

Também devemos ter em conta que encontrar o caminho certo, não exatamente significa encontrar a fonte por onde o dinheiro jorra! Pelo menos não de maneira imediata! Além disto, sucesso e fama também não possuem relação direta com o dinheiro: Esteja certo que você convive ou conhece muitos milionários sem, no entanto, saber que eles gozam desta prerrogativa! De outro modo, você também deve conhecer pessoas que ostentam objetos caros, mas sua “riqueza” não vai além disto!

No mundo de hoje, estamos habituados a associar realização profissional à quantidade de dinheiro que esta poderá nos dar. Por esta razão, tendemos a descartar muitos talentos potenciais que todos possuímos, relegando-os ao papel de hobbies. Estou certo de que, se fossem melhor aproveitados, poderiam se transformar na grande “zebra” e, por consistirem num “talento nato”, seriam capazes de atrair mais oportunidades e dinheiro que qualquer exercício obrigatório de profissão, já que, quando fazemos por amor empregamos outra energia em nossas atividades. Impregnamo-nos de bons fluidos e isto, por si só, é capaz de atrair a prosperidade!

Uma vez que estavam falando sobre seus hobbies, aqueles executivos adquiriram um brilho diferente em seus olhares. Haviam deixado de lado o automatismo e monotonia de suas funções principais para falar sobre algo de que tanto amavam! Pareciam crianças em loja de doces.

Quando alguém fala sobre seu assunto preferido, ela irradia amor. Isto naturalmente desperta o interesse das pessoas e cria um clima de aconchego. Portanto, tenha em mente que seu assunto preferido revela parte de sua Missão de Vida! Se, no entanto, você não for capaz de enxerga-lo como algo economicamente viável, não desanime com isso.

Todos nós, exercemos por algum tempo, funções das quais não gostamos de desempenhar. No entanto, estas mesmas funções podem nos ajudar a desenvolver ferramentas que permitam alavancar qualquer ideia que torne profissão o que antes era considerado apenas um hobby.

Você precisa considerar outra possibilidade, que consiste em garimpar e despertar talentos latentes, correlacionados à profissão que você desempenha na atualidade, tornando agradável uma profissão serviço que você não gosta, mas precisa desempenhar. Neste processo alquímico, você transformaria chumbo em ouro! Além disto poderia obter ganhos incomensuráveis, mas principalmente, evitaria aquele hiato que costuma ocorrer na transição entre um emprego e outro; entre uma profissão e outra.

Uma pessoa que deseje ir de encontro à sua Missão de Vida, deve ter em mente que precisa obter o sustento executando trabalhos ou serviços dos quais não lhe agrade. Faz parte do processo custear a realização de nossos sonhos, exercendo funções que não nos causam prazer. Neste quesito, eu acredito que você conheça várias pessoas que vivem nesta condição. Portanto, tome-as como exemplo e percorra os quilômetros mais difíceis, se constatar que, mais adiante, terá valido à pena!

Deixe uma resposta