Honesto ou desonesto, jamais os dois

Auditores e outros profissionais que lidam constantemente com processos envolvendo fraudes e roubos relatam ficar espantados com o fato de algumas pessoas desviarem apenas pequenas quantias de dinheiro.

Para este perfil de pessoa, que vende sua integridade por uma ninharia, o comportamento desonesto não é uma ocorrência ocasional, mas um modo de vida!

Aqueles que mentem sobre coisas insignificantes ou desviam quantias triviais, tendem a classificar estes atos como “pequenos e inocentes” e, portanto, perpetuarão o hábito de mentir e roubar.

Quando você olha para trás, para o seu passado, você pode fazê-lo com orgulho, sabendo que sempre foi honesto? Se não for possível, talvez seja o momento de repensar sobre as escolhas que você tenha feito!

Se você não sente orgulho do passado, e se em algumas circunstâncias você adotou um comportamento desonesto, questione-se o porquê de ter feito isso, ou se isso realmente valeu (ou vale) à pena. Teria sido melhor se nestas mesmas circunstâncias você tivesse agido com honestidade? Teria gerado melhores consequências?

Procure sempre aprender com os erros fazendo deles um caminho para a honestidade e a verdade! Prometa diante de si mesmo, e reforce esta promessa todos os dias!

 

Deixe uma resposta